A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E O PANORAMA CONTEMPORÂNEO DA FILOSOFIA DA MENTE EM UM ESTUDO INTRODUTÓRIO PARA A FORMA ELETRÔNICA DO PROCESSO

  • André Fontes UNIRIO

Resumo

Os avanços tecnológicos, como é de conhecimento geral, demoram a ser plenamente incorporados pelo Poder Judiciário, em função da resistência sistemática e anacrônica, que pode ser constatada, com raras exceções, nos órgão que o integram em todo o País. Esses aparatos causam natural estranheza inicial, mas, na verdade, não provocam qualquer prejuízo; ao contrário, colaboram para a celeridade e efetividade da prestação da tutela jurisdicional. É por isso que, atualmente, os Tribunais não anulam mais decisões e atos processuais elaborados sob a forma datilografada, através do uso de microcomputadores ou mesmo pela utilização de impressoras a laser. Nesse contexto, o propósito deste trabalho é demonstrar a possibilidade de utilização de recursos tecnológicos disponíveis em processos judiciais, como forma de promover o aprimoramento e a efetividade das atividades jurisdicionais. Os recursos cibernéticos em desenvolvimento, como serão expostos, poderão complementar, inclusive, o exercício da jurisdição, através da utilização da Inteligência Artificial.

Publicado
2017-12-18
Como Citar
FONTES, André. A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E O PANORAMA CONTEMPORÂNEO DA FILOSOFIA DA MENTE EM UM ESTUDO INTRODUTÓRIO PARA A FORMA ELETRÔNICA DO PROCESSO. Lex Cult Revista do CCJF, [S.l.], v. 1, n. 1, p. 12-31, dez. 2017. ISSN 2594-8261. Disponível em: <http://lexcultccjf.trf2.jus.br/index.php/LexCult/article/view/9>. Acesso em: 21 out. 2019. doi: https://doi.org/10.30749/2594-8261.v1n1p12-31.