O ESPAÇO DO BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL: RUPTURAS E CONTINUIDADES

  • Elaine Fabre Xavier UEMG
  • Paloma Rezende de Oliveira UEMG

Resumo

Este artigo objetiva observar qual tem sido o espaço do brincar no processo de transição da Educação Infantil para o Ensino Fundamental. A perspectiva teórico-metodológica que norteia esta pesquisa é bibliográfica de cunho qualitativo, a qual considera a criança como um ser histórico, social, cultural e de direitos. Esta perspectiva está orientada por autores da história e sociologia da infância: Kuhlmann Jr. (2015), Barbosa e Tomás (2016), Sarmento (2013) e Kramer, Nunes e Corsino (2011). Orientaram os procedimentos metodológicos: Lüdke e André (2018) e Oliveira (2008) e outros. Apesar da legislação afirmar a continuidade do processo educacional, na análise das teses e dissertações pesquisadas na Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD) constatou-se que as crianças quando passam da Educação Infantil para o Ensino Fundamental não têm ou têm acesso restrito ao brincar nas escolas, evidenciando a função prescritiva dos documentos. As pesquisas indicaram ainda práticas pedagógicas nas quais o brincar se dá de forma didatizada e as crianças têm um papel secundário nesse processo. Também apontam aspectos que contribuem para se pensar possibilidades e alternativas para se garantir o direito ao brincar, no contexto escolar.


 

##plugins.generic.usageStats.downloads##

Não há dados estatísticos.

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##

Graduada em Pedagogia pela Uemg - Unidade Carangola. Especialista em Educação Especial.

Publicado
2022-05-11
Como Citar
XAVIER, Elaine Fabre; DE OLIVEIRA, Paloma Rezende. O ESPAÇO DO BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL: RUPTURAS E CONTINUIDADES. LexCult: revista eletrônica de direito e humanidades, [S.l.], v. 6, n. 2, p. 37-56, maio 2022. ISSN 2594-8261. Disponível em: <http://lexcultccjf.trf2.jus.br/index.php/LexCult/article/view/629>. Acesso em: 16 ago. 2022. doi: https://doi.org/10.30749/2594-8261.v6n2p37-56.
Seção
Dossiê Soc. e Hist. das Infâncias: interlocuções e debates sobre o campo