DITADO EM AÇÃO

UM DIÁLOGO ENTRE A JUSTIÇA FEDERAL E A ESCOLA

  • Erica de Sousa Costa UEMA

Resumo

Esse trabalho buscou descobrir um caminho para despertar em crianças a curiosidade pelo conhecimento da Justiça Federal brasileira. Para tanto, aplicou como estratégia a realização de uma aula de Língua Portuguesa, associada aos conceitos de Justiça e Cidadania. Abordou o contexto do Selo Estratégia em Ação, uma iniciativa do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, criado pela Portaria Presi 348/2016. Desenvolveu-se uma aula de ditado e redação voltada para o ensino de palavras com a letra “R”, utilizando balões, exposição de gravuras na lousa, e a brincadeira batalha naval – focalizando na ludicidade. Essa atividade teve como título: Ditado em Ação, relacionando-se com a nomenclatura do Selo Estratégia em Ação, que norteou essa prática educativa. Objetivou investigar aludido método de aprendizagem, englobando as concepções teóricas de Vigotski, Ausubel, Skinner e Wallon, e, por conseguinte, delimitar as principais caraterísticas pedagógicas que fundamentam a efetividade da aprendizagem. Essa pesquisa é descritiva, teve abordagem qualitativa, aliada aos procedimentos bibliográfico e documental; e é  uma pesquisa de campo, realizada no quinto ano único da Escola Municipal Professora Antônia Cardoso de Morais – Balsas/MA. Concluiu-se, mediante avaliação das tarefas, que a maioria dos alunos conseguiu compreender o conteúdo. A classe conquistou Certificado Categoria Ouro 2019 notadamente pelo respeito à lição proposta, sendo valorizado o desempenho da turma como um todo; e, ainda, receberam frutas, a fim de retratar princípios pedagógicos de ensinamento prático; e refletir a visão de sustentabilidade da Justiça Federal brasileira.

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##

Pós-Graduada em Advocacia Trabalhista pela Universidade Anhanguera. Pós-graduanda em Educação Especial e Inclusiva pela Universidade Estadual do Maranhão. Graduada em Licenciatura em Pedagogia pela Universidade Estadual do Maranhão. E-mail: ericacosta.advogada@gmail.com.

Referências

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Presidência da República, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 24 jan. 2020.

BRASIL. Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 1990. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8069.htm. Acesso em: 24 jan. 2020.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF: Presidência da República, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 8 fev. 2020.

BRASIL. Tribunal Regional Federal (1. Região). Endereço e telefone. [Brasília, DF], 2020c. Disponível em: https://portal.trf1.jus.br/sjma/institucional/subsecoes- judiciarias/subsecao-de-balsas/subsecao-judiciaria/endereco-e-telefone/. Acesso em: 13 fev. 2020.

BRASIL. Tribunal Regional Federal (1. Região). Identidade visual. [Brasília, DF], 2020b. Disponível em: https://portal.trf1.jus.br/portaltrf1/institucional/simbolos-do-trf/identidade-visual.htm. Acesso em: 20 jan. 2020.

BRASIL. Tribunal Regional Federal (1. Região). Nasce um tribunal: a criação do TRF 1ª região. [Brasília, DF], 2020a. Disponível em: https://portal.trf1.jus.br/portaltrf1/institucional/memoria- institucional/nasce-um-tribunal/. Acesso em: 16 jan. 2020.

BRASIL. Tribunal Regional Federal (1. Região). PORTARIA PRESI 348. Institui o Selo Estratégia em Ação no 1º grau da Justiça Federal da 1ª
Região. Brasília, DF: Presidência, 2014. Disponível em: https://portal.trf1.jus.br/lumis/portal/file/fileDownload.jsp?fileId=2C9082505F28E6C7015F3AD8749B19D5. Acesso em: 16 jan. 2020.

CHIZZOTTI, Antonio. Pesquisa em ciências humanas e sociais. São Paulo: Cortez, 2009.

CONSELHO DA JUSTIÇA FEDERAL (Brasil). A estratégia da Justiça Federal 2015/2020: anexo da Resolução CJF nº 313/2014. [Brasília, DF]: CJF, 2014. Disponível em: http://www.jfsp.jus.br/documentos/administrativo/NUCS/campanhas/permanentes/estrategiajf/CadernoEstrategia20152020editorial.pdf. Acesso em: 24 jan. 2020.

CONSELHO DA JUSTIÇA FEDERAL (Brasil). Resolução nº CJF-RES-2016/00432 de 13 de dezembro de 2016. Dispõe sobre o Projeto Político-Pedagógico para Capacitação e Desenvolvimento dos servidores do Conselho e da Justiça Federal de primeiro e segundo graus. [Brasília, DF]: CJF, 2016. Disponível em: https://www.cjf.jus.br/cjf/corregedoria-da-justica-federal/centro-de-estudos-judiciarios-1/Resoluon.CJFRES201600432.pdf. Acesso em: 18 fev. 2020.

CUNHA, Eugênio. Práticas pedagógicas para inclusão e diversidade. Rio de Janeiro: Wak, 2016.

DAMASO, Márcio Correa. A dimensão administrativa da Justiça Federal brasileira: um estudo de caso da atual situação administrativa e funcional da Vara Federal de Barra do Piraí. 2016. Volta Redonda: RIUFF, 2016. Disponível em: https://app.uff.br/riuff/bitstream/1/3387/1/Marcio%20Correa%20Damaso.pdf. Acesso em: 20 out. 2019.

DÉR, Leila Christina Simões. A constituição da pessoa: dimensão afetiva. In: MAHONEY, Abigail Alvarenga; ALMEIDA, Laurinda Ramalho (Orgs.). A constituição da pessoa na proposta de Henri Wallon. São Paulo: Loyola, 2004. p. 61-76.

ESCOLA DA MAGISTRATURA REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO. Notícias. [Rio de Janeiro], 2016. Disponível em: https://www10.trf2.jus.br/portal/emarf- portaria-institui-projeto-politico-pedagogico/. Acesso em: 18 fev. 2020.

ESCOLA NACIONAL DE FORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO DE MAGISTRADOS. Resolução Enfam n. 7 de 7 de dezembro de 2017. [S. l.], 2017. Disponível em: https://bdjur.stj.jus.br/jspui/handle/2011/116264. Acesso em: 18 fev. 2020.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2009.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos de metodologia científica. São Paulo: Atlas, 2010.

LAKOMY, Ana Maria. Teorias cognitivas da aprendizagem. Curitiba: InterSaberes, 2014.

NOGUEIRA, Makeliny Oliveira Gomes; LEAL, Daniela. Teorias da aprendizagem: um encontro entre os pensamentos filosófico, pedagógico e psicológico.
Curitiba: InterSaberes, 2015.

PALMER, Joy A. 50 Grandes educadores modernos: de Piaget a Paulo Freire. Tradução: Mirna Pinsky. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2011.

REIS, Cinthia Regina Nunes. Metodologia da pesquisa em educação. São Luís: UEMAnet, 2018. Disponível em: https://ava2.uemanet.uema.br/course/view.php?id=100§ion=12. Acesso em: 24 fev. 2020.

RONCA, Antonio Carlos Caruso. O modelo de David Ausubel. In: PENTEADO, Wilma Millan Alves (Org.). Psicologia de ensino. São Paulo: Papilivros, 1980. p. 59-83.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ. Conceito de acessibilidade. [Fortaleza, CE], 2020. Disponível em: http://www.ufc.br/acessibilidade/conceito-de-acessibilidade. Acesso em: 25 jan. 2020.

VENTURINI, Lauren Dal Bem; SOUZA, Ângela Rozane Leal de; BIANCHI, Márcia. Eficiência na alocação dos recursos públicos do Poder Judiciário: um estudo na 4ª Região Federal. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CUSTOS, 25., 2018, Vitória, ES. Anais [...]. Vitória, ES: Associação Brasileira de Custos, 2018. p. 1-15.

WALLON, Henri. Do ato ao pensamento. Petrópolis: Vozes, 2008.
Publicado
2020-05-09
Como Citar
COSTA, Erica de Sousa. DITADO EM AÇÃO. Lex Cult Revista do CCJF, [S.l.], v. 4, n. 1, p. 182-210, maio 2020. ISSN 2594-8261. Disponível em: <http://lexcultccjf.trf2.jus.br/index.php/LexCult/article/view/321>. Acesso em: 07 jul. 2020. doi: https://doi.org/10.30749/2594-8261.v4n1p182-210.
Seção
Artigos