O JULGAMENTO DE ADOLF EICHMANN: A TENTATIVA DA DEFESA DE JUSTIFICAR O INJUSTIFICÁVEL

  • Luiz Henrique Lucas Barbosa Universidad de Buenos Aires - UBA

Resumo

O presente artigo se propõe a investigar os antecedentes que deflagraram a ascensão do nazismo na Alemanha da primeira metade do século XX. O desespero e a crise que tomaram os espíritos da população germânica conduziram os destinos da nação a reconhecer e mesmo apoiar parcialmente a Adolph Hitler e seus partidários. Dentre eles destacamos a Adolf Eichmann, um homem simples que se rendeu a toda a burocracia da máquina nazista e se apresentou como um cego observador dos mandamentos legais, mesmo que assim se tenha transformado em un frio assassino de judeus. Uma vez terminada a guerra, Eichmann fugiu para a América do Sul, vivendo escondido com sua família num subúrbio de Buenos Aires (Argentina). Ali foi reconhecido, capturado pelo “Mossad” e conduzido a Jerusalém, onde foi julgado e condenado à pena de morte. Este artigo se ocupa de investigar os argumentos da defesa e de apresentar sua recusa pela corte israelense. Não é nossa proposta buscar casos similares posteriores ao julgamento de Eichmann, mas apenas debater os argumentos levantados por seu advogado.

##plugins.generic.usageStats.downloads##

Não há dados estatísticos.

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##

Bacharel em Direito pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro - grau recebido em 1992.

Bacharel em Filosofia Eclesiástica pela Faculdade Eclesiástica de Filosofia João Paulo II - grau recebido em 2000.

Bacharel em Teologia pela Faculddae de Ciências, Educação e Teologia do Norte do Brasil - grau recebido em 2009.

Pós-Graduado com Especialização em Direito Privado pela Universidade Gama Filho - grau recebido em 2008.

Pós-Graduado com Especialização em Direito Público pela Universidade Gama Filho - grau recebido em 2008.

Pós-Graduado com Mestrado em Direito Internacional dos Direitos Humanos pela Universidade Cândido Mendes - grau recebido em 2012.

Aluno do Curso de Doutorado em Direito Penal pela Universidade de Buenos Aires - em andamento (2018).

Professor de Sagrada Escritura da Escola Diaconal Santo Estêvão da Diocese de Petrópolis/RJ.

Oficial de Justiça Avaliador Federal da Seção Judiciária do Rio de Janeiro - TRF 2 - desde setembro de 1997.

Referências

ALBUQUERQUE, Hélio Cardozo de. A relação judaico-cristã: nas origens e hoje. Rio de Janeiro: Lumen Christi, 2004.

ARENDT, Hannah. Eichmann em Jerusalém: um relato sobre a banalidade do mal. Tradução Samuel Titan Jr. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

ARENDT, Hannah. Origens do Totalitarismo. Tradução Roberto Raposo. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

ARENDT, Hannah. Eichmann em Jerusalém, um relato sobre a banalidade do mal. Tradução José Rubens Siqueira. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

CREUS, Carlos. Derecho Penal. Parte General. 5. ed. Buenos Aires: Astrea, 2017.

FORTES, José. A justiça e a lei na Alemanha nazista. In: FORTES, José et al. meionorte.com: blogs. [S.l.], 24 jun. 2009. Disponível em: http://www.meionorte.com/blogs/josefortes/a-justica-e-a-lei-na-alemanha-nazista-89384. Acesso em: 06 fev. 2018.

GRECO, Rogério. Curso de Direito Penal. Parte Geral. 8. ed. Rio de Janeiro: Impetus, 2007.

GOES, Marcos Paulo. “Os Protocolos dos Sábios de Sião”: a fraude criada na Rússia e usada por Hitler e pela esquerda. 2015. Disponível em: http://www.libertar.in/2015/04/os-protocolos-dos-sabios-de-siao-fraude.html. Acesso em: 05 fev. 2018.

RAFECAS, Daniel Eduardo. Aportes para un cambio cultural a partir de Auschwitz: ensayos sobre derecho, historia y educación. Buenos Aires. Biblioteca Nuestra Memoria, 2013.

RAFECAS, Daniel Eduardo. El Crimen de tortura: en el Estado autoritario y en el Estado de derecho. Buenos Aires: DIDOT, 2015.

RAFECAS, Daniel Eduardo. Historia de la Solución Final: una indagación de las etapas que llevaron al exterminio de los judíos europeos. Buenos Aires: Siglo Veintiuno Editores, 2014.

RICHARD, Lionel. A República de Weimar. São Paulo: Companhia das Letras, 1988.
Publicado
2019-04-08
Como Citar
BARBOSA, Luiz Henrique Lucas. O JULGAMENTO DE ADOLF EICHMANN: A TENTATIVA DA DEFESA DE JUSTIFICAR O INJUSTIFICÁVEL. Revista da Seção Judiciária do Rio de Janeiro, [S.l.], v. 22, n. 44, p. 35-55, abr. 2019. ISSN 2177-8337. Disponível em: <http://lexcultccjf.trf2.jus.br/index.php/revistasjrj/article/view/148>. Acesso em: 29 set. 2022. doi: https://doi.org/10.30749/2177-8337.v2n44p35-55.