DIFERENÇA NO CURRÍCULO DA EDUCAÇÃO INFANTIL: É POSSÍVEL TENSIONAR GÊNERO E SEXUALIDADE A PARTIR DOS DIREITOS DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO DA BNCC?

Resumo

O presente artigo tem como objetivo identificar e tensionar caminhos possíveis para (re)pensar as questões de gênero e sexualidade no texto da Base Nacional Comum Curricular (BNCC, 2017), a partir dos direitos de aprendizagem e desenvolvimento da Educação Infantil: conviver, expressar e conhecer-se. Lançamos olhares sobre a ideia de comum, o que não só remete ao título do documento, mas também permeia todo o texto da BNCC. Também observamos a produção do apagamento da diferença sob o pretexto da igualdade de oportunidade para todas as crianças do Brasil. Estabelecemos diálogos com autores da teoria da diferença, do currículo e dos estudos da infância, e argumentamos que é necessário o movimento de (trans)ver a BNCC, utilizando lentes e ferramentas que proporcionem a mobilização deste documento mantendo a diferença em evidência nas relações e práticas escolares na Educação Infantil.

##plugins.generic.usageStats.downloads##

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Possui Licenciatura Plena em Pedagogia pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (2013) Especialização em Docência na Educação Infantil pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2016) Mestrado em Educação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2020), atualmente Doutoranda em Educação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Coordena o Projeto de Pesquisa e extensão Currículo em Movimento na Educação Infantil do Colégio de Aplicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro Membro do Bando de estudos e pesquisas em currículo ética e diferença (Bafo! - UFRJ). Atua como professora efetiva do Setor de Educação Infantil do Colégio de Aplicação do Colégio de Aplicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

##submission.authorWithAffiliation##

Possui Licenciatura Plena em Pedagogia pela Universidade Federal do Maranhão (2017), Mestrado em Educação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2020), atualmente Doutoranda em Educação pela UFRJ. Membro do Grupo de Estudos em História do Currículo (GEHC), do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Gênero e Sexualidade nas Práticas Educativas (GESEPE/UFMA) e do Bando de estudos e pesquisas em currículo ética e diferença (Bafo!/UFRJ). Tem experiência como professora regente da Educação Infantil.

Publicado
2022-01-27
Como Citar
GONÇALVES, Lorraine de Andrade Branco Faria; MOREIRA, Catarina de Cassia. DIFERENÇA NO CURRÍCULO DA EDUCAÇÃO INFANTIL: É POSSÍVEL TENSIONAR GÊNERO E SEXUALIDADE A PARTIR DOS DIREITOS DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO DA BNCC?. LexCult: revista eletrônica de direito e humanidades, [S.l.], v. 6, n. 1, p. 207-217, jan. 2022. ISSN 2594-8261. Disponível em: <http://lexcultccjf.trf2.jus.br/index.php/LexCult/article/view/585>. Acesso em: 03 out. 2022. doi: https://doi.org/10.30749/2594-8261.v6n1p207-217.
Seção
Dossiê Educação no Brasil: esperança, drama ou farsa?