A MEMÓRIA ESQUECIDA DA JUSTIÇA DO TRABALHO DE PERNAMBUCO: “o caso Eurico” (1966)

Resumo

A proposta do artigo se baseia no estudo de uma memória traumática e esquecida da Justiça do Trabalho de Pernambuco, que se desdobra de uma denúncia que envolvia os crimes de “subversão” e de “corrupção”. Essa denúncia culminou com o afastamento de Eurico de Castro Chaves Filho do cargo de Presidente da Justiça do Trabalho, nos idos de 1966, cujas circunstâncias estavam repletas de implicações, só compreendidas mediante o aprofundamento do imaginário autoritário que permeava o período. O percurso da narrativa se dá mediante o trabalho de interconexão de artefatos documentais de naturezas distintas. De um lado, o Inquérito Administrativo produzido na Justiça do Trabalho, que gerou outro inquérito no IV Exército; e do outro, prontuários funcionais e individuais do Departamento de Ordem Política e Social – DOPS-PE, que nos auxiliaram a revelar a trama por trás do fato que sacudiu a história do Tribunal Regional do Trabalho da Sexta Região, em que foi possível identificar práticas repressivas constituídas em ambas as realidades arquivísticas referentes ao período militar.

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##

Doutorado, Mestrado e Graduada em História pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Professora Associada do Departamento de História da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE).

Publicado
2020-09-15
Como Citar
SILVA, Marcília Gama. A MEMÓRIA ESQUECIDA DA JUSTIÇA DO TRABALHO DE PERNAMBUCO: “o caso Eurico” (1966). Lex Cult Revista do CCJF, [S.l.], v. 4, n. 2, p. 315-345, set. 2020. ISSN 2594-8261. Disponível em: <http://lexcultccjf.trf2.jus.br/index.php/LexCult/article/view/407>. Acesso em: 27 out. 2020.
Seção
Dossiê Memória, História, Arquivos e Museus do Judiciário