COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E A TRAGÉDIA DA SAMARCO

  • Gercton Bernardo Coitinho Centro Universitário Augusto Motta, UNISUAM, Brasil
  • Eduardo Barbuto Bicalho http://orcid.org/0000-0003-3575-3961
  • Ana Christina Tavares Martins Centro Universitário Augusto Motta, UNISUAM, Brasil

Resumo

Este estudo buscou verificar as práticas de comunicação institucional, adotadas pela Samarco (empresa de mineração, subsidiária da Vale), no episódio do rompimento da barragem de rejeitos, em Mariana, MG. Para tanto, buscou-se observar, primeiramente, a relação da empresa com seus stakeholders, incluindo autoridades, comunidade, fornecedores, clientes, imprensa e a sociedade em geral. Foram observados também os designativos da organização como missão, visão e valores e confrontados com as práticas comunicacionais do dia-a-dia da Samarco. O material utilizado na pesquisa incluiu o site da empresa, notícias publicadas na imprensa e dados disponibilizados em documentos de órgãos oficiais. As conclusões indicam que no decorrer da gestão de comunicação de crise e pós-crise, o material de comunicação veiculado pela mineradora Samarco buscou e tem buscado filtrar informações de modo a liberar a empresa de suas responsabilidades com o ocorrido, negligenciando os compromissos descritos em sua missão, embotando com isso a sua transparência.

##plugins.generic.usageStats.downloads##

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Mestre em Desenvolvimento Local pela UNISUAM, especialista em Gestão Empresarial pela Universidade Castelo Branco (UCB), possui graduação em Tecnologia em Marketing pela UCB. Atualmente coordena o Curso Superior de Tecnologia em Marketing da UCB e Desde 2013 atua como docente na Escola Superior de Gestão e Tecnologia da Universidade Castelo Branco. Na área corporativa, atua desde 2010 na gestão de marketing no setor de lazer e entretenimento do grupo Playtoy Park. Desenvolve e implementa as ações sazonais de marketing e atua também na gestão da empresa, executando projetos especiais em parceria com os shoppings onde a empresa opera. Participa das iniciativas de Responsabilidade Social da empresa, em parcerias com ONGs ligadas a prefeitura do Rio de Janeiro - RJ e de São Gonçalo - RJ. Atuou na área técnica por 10 anos, chegando a ocupar a coordenação técnica do Playtoy Park.

Eduardo Barbuto Bicalho

Graduado em Direito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Especialista em Direito Público pela Universidade Cândido Mendes (UCAM). Mestre em Direito pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), com foco em direitos humanos e políticas públicas. 

##submission.authorWithAffiliation##

Graduação em Comunicação Social - FACULDADES INTEGRADAS HÉLIO ALONSO (1993). Possui também pós-graduação Lato Sensu em Assessoria de Comunicação Empresarial - Centro Universitário da Cidade do Rio de Janeiro (1995). Professora no curso de Marketing da Universidade Castelo Branco, professora tutora no curso de Pedagogia da UNIRIO/CEDERJ; professora tutora no curso de pós-graduação em Planejamento, implementação e gestão de educação a distância.Lante/UFF e jornalista - Trevo Efervescência Comunicativa, atuando principalmente nos seguintes temas: marketing, mídias sociais e comunicação empresarial. Mestranda em Desenvolvimento Local pela UNISUAM.

Publicado
2018-05-29
Como Citar
COITINHO, Gercton Bernardo; BICALHO, Eduardo Barbuto; MARTINS, Ana Christina Tavares. COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E A TRAGÉDIA DA SAMARCO. LexCult: revista eletrônica de direito e humanidades, [S.l.], v. 2, n. 1, p. 130-152, maio 2018. ISSN 2594-8261. Disponível em: <http://lexcultccjf.trf2.jus.br/index.php/LexCult/article/view/35>. Acesso em: 05 jul. 2022. doi: https://doi.org/10.30749/2594-8261.v2n1p130-152.

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##