A INVENÇÃO DO ARQUIVO PESSOAL DE SANTOS DUMONT

Resumo

O trabalho objetiva discutir como se deu a constituição do que hoje se conhece como o Arquivo Pessoal de Santos Dumont. O referido conjunto documental foi doado ao Centro de Documentação da Aeronáutica (CENDOC), Organização Militar (OM) do Comando da Aeronáutica (COMAER), em 2004 e é constituído por 2716 unidades documentais, sendo 764 documentos iconográficos e 1,57 metros lineares de documentos textuais, reunidos pelo pai da Aviação até 1932, além dos acréscimos selecionados pelo Brigadeiro Lavenère-Wanderley, na década de 1960. Esse conjunto documental, apesar de não ser fruto das funções e atividades desenvolvidas por Dumont, é representativo de sua trajetória numa perspectiva pessoal, visto que esse conjunto fora acumulado a partir de clippings ora solicitados por Santos Dumont. No nível de conteúdo, os documentos refletem suas atividades. Esse conjunto hoje possui, portanto, força de representação documental sobre a vida de Santos Dumont e apresenta documentos provenientes da ação do Santos Dumont de agregar registros sobre sua vida. A pesquisa se fundamentou em problematizar o processo de constituição do conjunto documental que hoje é considerado o arquivo pessoal de Santos Dumont. Nesse sentido buscou-se, através de diálogos com a teoria arquivística, descrever a história arquivística do acervo, a fim de comparar o processo de produção desse arquivo com o de um arquivo pessoal. Espera-se, com este trabalho, demonstrar que, apesar não podermos considerá-lo, no sentido canônico da definição, um arquivo pessoal, este é sim o arquivo pessoal de Santos Dumont, a partir da história arquivística apresentada.

Publicado
2019-12-19
Como Citar
PINTO DA SILVA, Bárbara Cristina Barbosa. A INVENÇÃO DO ARQUIVO PESSOAL DE SANTOS DUMONT. Lex Cult Revista do CCJF, [S.l.], v. 3, n. 3, p. 157-175, dez. 2019. ISSN 2594-8261. Disponível em: <http://lexcultccjf.trf2.jus.br/index.php/LexCult/article/view/280>. Acesso em: 28 jan. 2020.